OS CONCEITOS DE SAUDE E DOENÇA DENTRO DA FILOSOFIA DO CORE

0

 

Jose Carlos in Portugal

 

 

De acordo á filosofia do CoRe , a principal causa da doença ( qualquer que ela seja) , é a estagnação , sendo o CoRe  uma ferramenta objectiva para detectar e tratar essa estagnação.

A estagnação tem na grande maioria das vezes origem no medo , na busca patológica da segurança e na incapacidade para compreender que um dos principais fundamentos da vida é a incerteza.

Essa busca doentia por uma segurança que ainda por cima é impossível de atingir é nos imposta pela sociedade , educação e mesmo pelos meios de comunicação que nos alienam , programam e formatam , chegando a um ponto em que tal qual como com os computadores a única solução é fazer um RESET.

 

Reset tal como o reset dum computador significa apagar os programas existentes , voltar a um estado original e mais simplificado que resolva os problemas de saúde ou outros.

Para ser possível fazer esse Reset que leva á cura a pessoa completamente cristalizada tem que ser levada a um estado que lhe permita sair da polaridade extrema e donde possa ver uma quantidade de novas opções e oportunidades , esse estado é chamado pelo Dr. Kiran o inventor do Core , um estado de DLE ( dynamic labile equilibrium)

 

Este conceito de DLE é bastante inovador , no sentido que normalmente aquilo que unicamente se busca é o equilibrio entre as polaridades  , aqui ainda mais importante do que o equilíbrio entre as polaridades (que poderia ser entendido como estar no centro) , é ser capaz de mover entre as polaridades , uma vez que estar no meio das polaridades é estar estável , equilibrado no entanto na vida é preciso também dinâmica , inovação e criatividade , caso contrario podemos estar a promover a morte que como diz o Dr. Kiran é a forma mais perfeita de estabilidade.

 

Polaridade é a base do DLE e no momento em que já não estamos abertos á polaridade é quando a doença aparece para re-establecer o fluxo   que apenas é possível com a polaridade ou seja quando nos conseguimos mover facilmente entre os dois pólos , por outras palavras , ficamos doentes quando perdemos um componente da polaridade e curamo-nos quando o reintroduzimos na nossa vida.

 

Nos dias de hoje eventualmente onde podemos considerar que a estagnação é máxima é dentro da nossa própria cabeça , uma vez que a nossa sociedade actual e particularmente a nossa educação nos polarizou completamente no lado esquerdo do cérebro fortalecendo a lógica e a frieza dos números e desprezando completamente a intuição e o pensamento analógico e criativo.

Isto torna-nos cada vez menos abertos á mudança.

 

Consideram-se quatro níveis de saúde , doença , medicina e  até mesmo de vida em geral , são eles : o nível físico-estrutural-bioquimico , o nível energético , o nível informacional e o nível espiritual.

Estes quatro níveis coexistem em todos e cada um de nós e o estado de saúde ou doença é dependente do estado e grau de cooperação de todos e cada um dos quatro.

 

O sistema CoRe permite fazer tratamentos e trabalhar directamente com os níveis energético e informacional , o que por sua vez  também vai produzir mudanças nos outros dois níveis uma vez que os quatro não estão desligados e mantêm portanto uma interdependência .

Este é o motivo porque normalmente se consideram determinadas curas físicas que acontecem com muita frequência a doentes que recorrem a terapeutas que utilizam o sistema CoRe como sendo “coincidências”  ou seja por exemplo no caso de alguém com uma doença física diagnosticada como sendo por exemplo cancro , submete-se a uma terapia com o CoRe que não vai utilizar  nenhum tratamento físico e o que acontece muitas vezes ( e já aconteceu em inúmeros casos testemunhados como inclusivamente tivemos oportunidade de escutar alguns durante o congresso nas Caldas da Rainha) é que coincidindo com o tratamento com o CoRe e coincidindo também com a  mudança e harmonização provocada  nos níveis energético , informacional e até mesmo espiritual  , coincide  vezes de mais para ser coincidência ( ou melhor para ser apenas coincidência no sentido que normalmente é dado á palavra coincidência) que a  doença física e no caso deste exemplo os cancros muito frequentemente desaparecem.

 

O CoRe ( que significa literalmente Reconhecimento de  Coincidencias ) consegue detectar e medir que na vida de determinada pessoa certas “coincidências” formam um padrão determinado que inclusivamente pode ser tratado e alterado.

No modelo e na própria filosofia do CoRe no nível informacional , os fenómenos e os efeitos não são o resultado do fazer , nem sequer da intenção da parte de uma pessoa , mas sim coincidências , no entanto não coincidências no sentido de serem insignificantes mas sim no sentido de sincronismo.

 

As avaliações do CoRe não visam detectar causas mas sim mostrar possibilidades para mudar , informação ressonante como a mostrada pelo sistema CoRe não pretende substituir diagnósticos físicos ou energéticos mas são portas , vias e caminhos que permitem sair da situação actual , elas mostram possíveis soluções. As avaliações fornecem indicações que apontam para as áreas da vida do cliente que necessitam de atenção e para além disso fornece as ferramentas energéticas e informacionais para re-establecer a saúde e o necessário DLE entre elas , pois os primeiros resultados da avaliação representam os aspectos que têm que ser atendidos para recuperar a saúde , ou seja mostra os aspectos da polaridade nos quais a pessoa deve ser capaz de conseguir passar de um lado para o outro com maior  facilidade e liberdade , o que faz expandir o leque de possibilidades e incrementar a abertura para a mudança , assim os resultados mostram possíveis escolhas que a pessoa tem , que normalmente a pessoa não consegue enxergar devido a estar estagnada numa polaridade.

O caminho de volta para a saúde passa por  voltar a integrar novamente a polaridade que foi suprimida de volta ás nossas vidas.

 

A importância da informação é obvia , nós necessitamos de partilhar informação com os outros para nos mantermos vivos , nós necessitamos de receber informação sob a forma de imagens , sons e perfumes para nos mantermos saudáveis. Qualquer acção que façamos é precedida de um fluxo de informação nos nossos cérebros e nós na realidade movemos energia com os nossos pensamentos ou emoções. No entanto e apesar disso ao contrario do conceito de energia nós ainda não possuímos um entendimento qualitativo da informação.

 

A medicina informacional pode ser definida como a ciência de como fornecer informação em falta , de como remover bloqueios de informação ou informação que deixou de ser valida e de como e quando fornecer o tipo de informação correcta , na dose certa e no momento apropriado.

Informação é na realidade organização em formação , é a ferramenta usada pela consciência.

 

O sistema CoRe não trabalha com arquétipos , pois os arquétipos são uma forma simplificada e incompleta do hemisfério esquerdo do cérebro procurar imitar a visão holografica do hemisfério direito. Os arquétipos para poderem catalogar atribuem a determinada combinação de características maior importância do que a outras combinações de característica , pois estas combinações de características resultariam no retirar da etiqueta atribuída á pessoa que já não caberia nesse sistema  ultra-simplificado de classificação , o CoRe  trabalha com o halograma no qual nenhuma qualidade é mais importante do que a outra , pois todas elas fazem parte da singularidade que é cada ser humano.

 

O CoRe mostra-nos então que a vida é gerada pelo movimento dinâmico que é criado ao passar-se se um pólo ao outro , na mudança de estações do inverno ao verão e logo mais tarde do verão ao inverno , o estar no meio como sendo o equilíbrio perfeito que muitos predicam como sendo o ideal , na realidade corresponderia a uma primavera eterna que não levaria muito tempo a trazer a morte pela sua imutabilidade e consequente estagnação , a estagnação traz a doença e retira-nos opções de vida , a capacidade de “ver” e de intuir.

Significa que se as pessoas buscarem um código rígido da verdade , se considerarem a verdade como uma serie rígida de regras fixas , nunca a encontrarão. Nenhuma coisa é a mesma no tempo , o tempo é mudança , tudo muda no tempo e tudo muda no tempo entre os opostos. Hoje as coisas andam de um modo e amanhã de outro , quer dizer de um modo oposto. Todo o tempo está regido pelos opostos e oscila entre eles.

 

O oráculo mais famoso da antiguidade foi o oráculo de Delfos , aonde todos os que tinham uma decisão importante para tomar ocorriam , no antigo templo sagrado de Delfos havia duas inscrições  colocadas de tal modo que aqueles que ocorriam  a consultar o oráculo podiam ler , uma compunha a famosa frase “conhece-te a ti mesmo” , a outra menos conhecida era “nada em demasia” , não significa demasia que um homem possa fazer ou ser algo demasiado , em grego a frase significa “nada em excesso” , primeiro um homem deve conhecer-se a si mesmo para depois não ficar preso apenas num  dos extremos , numa das polaridades , o conhecimento de si implica entre outras coisas o conhecimento dos extremos e das polaridades em nós mesmos , quer dizer chegarmos a ser conscientes deles , então podemos compreender e aplicar o segundo aforismo : “nada em demasia”.

 

Conta-se que uma vez um homem sonhou que tinha descoberto o segredo do universo , despertou e escreveu o seu sonho.

Na manhã seguinte encontrou o que havia escrito : “ Caminha sobre ambas as pernas”   
Jose Carlos

Share.

About Author

Inergetix, Inc. founder and chief scientist.

Comments are closed.